Estrada Afora com o buscaOnibus

Seis pontos turísticos para conhecer Recife e Olinda

Comemoração no litoral pernambucano! Nesse sábado (12 de março) é aniversário de duas das principais cidades turística do Brasil, as pernambucanas Recife e Olinda, que completam 479 e 481 anos.

Parabéns Recife e Olinda

As cidades são vizinhas e praticamente se misturam, belas praias, riqueza cultural e animação sem igual

Veja opções de como viajar de ônibus até Recife e conhecer a região.

Quando citamos ambas as cidades, as primeiras lembranças são o frevo, o baião, as ladeiras, bonecos gigantes e a praia de Boa Viagem. Mas saiba que Recife e Olinda têm muito mais a oferecer e encantar suas milhões de visitantes.

Três dicas para aproveitar Recife além do comum

Com o lema Que a luz brilhe para todos”, a capital pernambucana é conhecida, carinhosamente, como “Veneza Brasileira” e “Florença dos Trópicos”, a cidade é cortada por rios e interligada por pontes, nove no total.

Além das belezas do Marco Zero e da praia de Boa Viagem que tal conhecer outros atrativos e conhecer um pouco mais da cultura e história de Recife?

1. Instituto Ricardo Brennand e Oficina de Cerâmica Francisco Brennand

Fundado em 2002, o Instituto Ricardo Brennand está sediado em um complexo estilo medieval e possui uma coleção permanente de objetos artísticos que vão desde a Baixa Idade Média ao século XXI, com ênfase aos períodos colonial e Brasil Holandês. Além das visitas guiadas, o instituto oferede curso, programas educativos e atividades culturais em geral. São três prédios – Museu Castelo São João, Pinacoteca e a Galeria, além de um vasto parque onde estão expostas diversas das obras.

O Instituto Ricardo Brennand funciona de terça a domingo, das 1h às 17h

O Instituto Ricardo Brennand funciona de terça a domingo, das 1h às 17h

Já a Oficina de Cerâmica Francisco Brennand, um dos maiores escultores do Brasil, é uma antiga olaria que foi transformada em ateliê e museu onde podem ser encontradas diversas obras de artes do artista além dos jardins projetados pelo também artista plástico, Burle Marx. Ambos Instituto e Oficinal ficam no bairro de Várzea, região oeste de Recife.

A Oficina está aberta ao público de segunda a quinta das 08h às 17h, às sextas das 08h às 16h e aos final de semana das 10h às 16h

A Oficina está aberta ao público de segunda a quinta das 08h às 17h, às sextas das 08h às 16h e aos final de semana das 10h às 16h

2. Pátio de São Pedro

A praça quadrada surgiu nas primeiras décadas do século XVIII, através da igreja que leva o mesmo nome. Formado por casinhas coloridas e pedras irregulares, o pátio preserva o traçado original e muito comum no período colonial. Além da Catedral de São Padro, tombada pelo Patrimônio Histórico Nacional, os visitantes encontrarão ateliês, bares e restaurantes, garantindo movimento durante toda a semana, sendo destaque a “Terça Negra”, evento musical relacionado à cultura afro-brasileira, a casa nº 21 que abriga o Memorial Chico Science e a de nº 35 que homenageia o Rei do Baião, Luiz Gonzaga.

“Nesse canteiro de pedras Renascem rosas e raízes Das culturas populares. Aqui a crença é boêmia. Arte e magia são gêmeas. Aqui o povo é poesia.” Poema de Romero Amorim

“Nesse canteiro de pedras Renascem rosas e raízes Das culturas populares. Aqui a crença é boêmia. Arte e magia são gêmeas. Aqui o povo é poesia.” Poema de Romero Amorim

3. Esculturas espalhadas pela cidade

Arte está espalhada por toda a cidade de Recife, desde sua arquitetura, culinária e música tão características. Mas além disso, a capital pernambucana conta com diversas esculturas espalhadas pela cidade, principalmente na região central. Algumas das obras são: Portal do poeta Manoel Bandeira, Monumento ao Frevo, Busto do poeta Olavo Bilac, a Ponte Maurício de Nassau, o Parque das Esculturas, escultura de Luiz Gonzaga e de Clarice Lispector.

Monumento ao Frevo e escultura do compositor Luiz Gonzaga, são algumas das milhares de obras de arte espalhadas pela cidade

Monumento ao Frevo e escultura do compositor Luiz Gonzaga, são algumas das milhares de obras de arte espalhadas pela cidade

Para conferir as obras, o projeto Recife Arte Pública, fez o mapeamento das artes em mural, vitral e escultura trazendo imagens e informações sobre as obras e seus autores.

Além das ladeiras, conheça três destaques de Olinda

Eleita a primeira Capital Brasileira da Cultura, Olinda é uma das mais antiga cidades brasileiras e é considerada Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade pela UNESCO. Distante sete quilômetros de Recife, pode ser considerada uma das localidades coloniais mais bem preservadas do Brasil.

Muito lembrada pelo bonecos gigantes e as milhares ladeiras, Olinda tem bem mais a oferecer a seus visitantes, que tal descobrir outros encantos?

1. Basílica de São Bento

Patrimônio Histórico Mundial pela UNESCO, a Basília de São Bento e seu estilo barroco remontam dos primeiros tempos da colonização portuguesa no Brasil. Sua obra foi finalizada em 1761 e é considerada a igreja mais rica de Olinda. Além das paredes douradas, dos painéis no teto, dos púlpitos bem trabalhados, das luxuosas tribunais laterais, os destaques da arquitetura ficam com o altar de 14 metros de altura e todo folheado a ouro.

Durante a missa de domingo, às 10h, há apresentações de canto gregoriano, um espetáculo à parte.

Durante a missa de domingo, às 10h, há apresentações de canto gregoriano, um espetáculo à parte.

2. Conheça o Centro Histórico

Andar a pé pelo centro histórico de Olinda é a melhor maneira de conhecer essa bela cidade. Sem pressa, observar os casarios, as igrejas, as paisagens, os artesanatos e curtir o clima da cidade. Um opção é iniciar pela Praça do Carmo e seguir em direção à rua do Amparo, onde você poderá encontrar museus, ateliês e a Casa dos Bonecos Gigantes, depois visite o Lardo do Varadouro e aprecie o artesanato locais nas feirinhas. E para fechar, conhecer a Catedral da Sé com seus altares folheados a ouro e azulejo portugueses e apreciar o belíssimo por do sol enquanto degusta uma das delícias culinárias, como o queijo coalho, a tapioca ou um bolo de rolo.

Caminhar por Olinda é uma volta ao passado através de um lugar extremamente charmoso

Caminhar por Olinda é uma volta ao passado através de um lugar extremamente charmoso

3. Museu do Mamulengo

Mamulengo é um fantoche típico do nordeste brasileiro, especialmente no estado de Pernambuco. No Museu do Mamulengo o visitante encontra cerca de 400 fantoches, as peças mais antigas datam do século 19, de um acervo de 1.200. Cenas e personagens típicos nordestinos, como o cangaço e a fazenda, são o foco do museu que também traz a fantasia, com vampiros, a morte e o diabo, para a sua exposição. O museu é pequeno e há um guia que explica a história de dos bonecos, material usado para a criação e os mamulengueiros que criaram. Existente desde 1994, o museu fica próximo ao Mercado da Ribeira no número 344 da rua São Bento e tem ainda uma parte para pesquisadores com documentos, sala de palestras e também apresentações teatrais. O horário de funcionamento é de terça a sábado, das 10h às 17h.  

Acredita-se que a origem do nome venha de mão mole, ideal para dar movimentos vivos ao fantoche

As épocas mais agitadas nas cidades são o verão, o carnaval e o mês de junho para curtir as festas juninas, mas a movimentação de turistas é intensa durante todo o ano.

Conheça mais sobre o carnaval pernambucano acessando a nossa página de eventos.

Além dos pontos turísticos listados, há muitos outros destaques em Recife e Olinda. Confira algumas fotos:

Orla da praia de Boa Viagem, uma das mais conhecidas e visitadas de Recife

Orla da praia de Boa Viagem, uma das mais conhecidas e visitadas de Recife

Panorâmica Recife

Panorâmica do Centro de Recife e suas pontes

Vista da Caixa d’Água no Alto da Sé em Olinda - Foto: Hugo Acioly

Vista da Caixa d’Água no Alto da Sé em Olinda – Foto: Hugo Acioly

Localizado no Morro do Serapião, o Farol de Olinda é o segundo mais antigo de Pernambuco

Localizado no Morro do Serapião, o Farol de Olinda é o segundo mais antigo de Pernambuco

Aprecie a deliciosa culinária local, como o doce de coco, o bolo Souza Leão, o bolo de rolo, o cartola, a tapioca, o baião de dois, a buchada, o queijo coalho. Foto: Comerdormirviajar

Aprecie a deliciosa culinária local, como o doce de coco, o bolo Souza Leão, o bolo de rolo, o cartola, a tapioca, o baião de dois, a buchada, o queijo coalho. Foto: Comerdormirviajar

Visite feiras de rua e a Casa da Cultura e encante-se com os artesanatos pernambucanos

Visite feiras de rua e a Casa da Cultura e encante-se com os artesanatos pernambucanos