Estrada Afora com o buscaOnibus

Chapada dos Veadeiros: o que saber antes de ir

Atualizado em

Já teve vontade de conhecer a Chapada dos Veadeiros, em Goiás? Agora você já pode começar a planejar a sua viagem para uma das joias naturais do Brasil! O blog Estrada Afora, do BuscaOnibus, conta tudo sobre esse paraíso, numa parceria com as viajantes do @mundosemmuros*. Com elas, você fica sabendo tudo para aproveitar ao máximo a Chapada!

Chapada dos Veadeiros foi o começo de tudo

A Chapada dos Veadeiros sempre foi um lugar que nos encantou muito. Essa magia começou na nossa primeira viagem ao Parque Nacional da Chapada em 2017, uma experiência decisiva para a criação do @mundosemmuros. O motivo é que a Chapada foi a nossa primeira viagem mais longa juntas, e, a partir de então, o desejo de continuarmos explorando só aumentou. Felizmente, em 2019, tivemos o prazer de voltar a este lugar tão especial e cheio de energia. Quem já passou pela Chapada dos Veadeiros sabe bem do que estamos falando! 

Pôr do sol na Chapada dos Veadeiros é um espetáculo imperdível da natureza
Pôr do sol na Chapada dos Veadeiros é um espetáculo imperdível da natureza (Crédito: Mundo Sem Muros).

Após as nossas duas viagens para a Chapada dos Veadeiros sentimos que podemos contribuir muito com dicas para quem ainda não conhece esse paraíso, ou para quem deseja explorar ainda mais esse lugar especial. A seguir, vamos falar do misticismo presente na região, dos passeios por cachoeiras e do povo Kalunga. Também vamos indicar qual a melhor época do ano para visitar, quantos dias são necessários para aproveitar a Chapada e onde ficar.

Chapada dos Veadeiros: lugar de ETs?

A região, pertencente ao cerrado Brasileiro, fica no nordeste de Goiás e pertinho de Brasília, o que torna fácil o acesso. Como é considerada um dos grandes destinos do estado de Goiás, a Chapada é muito procurada pelos amantes de natureza, por suas paisagens e cachoeiras sensacionais, e também pelo seu lado esotérico.

O misticismo vem da crença de que a Chapada dos Veadeiros fica sobre uma enorme placa de quartzo, que emana boas vibrações e protege a região. Por causa desta placa, a Chapada dos Veadeiros teria sido escolhida para receber seres iluminados. Desta maneira, é comum encontrar o quartzo em muitos artigos produzidos pelos artesãos locais. Além disso, a Chapada é cortada pelo Paralelo 14, a mesma linha imaginária que atravessa as ruínas incas de Machu Picchu, no Peru, outro lugar cercado de misticismos. 

As histórias esotéricas sobre a Chapada dos Veadeiros seguem com a crença de que existe um portal que pode levar as pessoas para outra dimensão, ali no Paralelo 14. Dizem que a visualização de extraterrestres é muito comum por lá também, nós não vimos, mas já vimos um dos céus mais estrelados de todas as nossas viagens. Por causa disso, é muito comum ver as cidades da região decoradas com figuras de ETs e muito artesanato, objetos hippies, música ao vivo e aquela vibe que só a Chapada tem. 

Chapada dos Veadeiros é um local de muitas crenças, dentre elas a da existência de seres extraterrestres
Chapada dos veadeiros é um local de muitas crenças, dentre elas a da existência de seres extraterrestres (Crédito: Mundo Sem Muros).

Qual a melhor cidade para ficar?

A cidade mais procurada como base para a Chapada dos Veadeiros é Alto Paraíso de Goiás, que fica a 230 km de Brasília. O acesso é facilmente feito por carro ou ônibus a partir de Brasília. Alto Paraíso conta com toda a estrutura de pousadas, hostels, restaurantes, feiras, etc., tudo para atender ao turista. Outras duas cidades também muito procuradas e cheias de atrativos são Cavalcante e São Jorge, entretanto essas já são menores e com estrutura que oferece menos opções.

Quando viajar para a Chapada?

É bom ficar atento à melhor época do ano para viajar para a Chapada dos Veadeiros, já que o clima no Parque Nacional é bem definido. Experimentamos os dois opostos: pegamos a época de chuvas em fevereiro (2017) a época de seca em outubro (2019). É interessante notar como tudo se transforma, principalmente a vazão das cachoeiras. Na época de chuva, as cachoeiras ficam mais volumosas e bonitas, porém na seca, é possível aproveitar melhor o banho nas piscinas naturais que são formadas.

Planeje bem a época da sua visita, pois no período de chuva fica inviável realizar alguns passeios e você pode pegar uma semana inteira de chuvas. Recomendamos fazer um roteiro de pelo menos 4 ou 5 dias, já que diversos dos principais atrativos pedem uma boa caminhada nas trilhas de acesso, algumas levam um dia inteiro. Então, se programe bem por lá! Um final de semana também é válido, porém é uma pena visitar a Chapada dos Veadeiros e não conhecer os principais atrativos. 

Preciso de guia na Chapada?

No planejamento de uma viagem para a Chapada dos Veadeiros, muita gente se pergunta se é possível fazer trilhas sozinho. Isso depende, já que às vezes os guias são obrigatórios para alguns passeios. Além da questão da segurança e do conhecimento, a contratação de guias também ajuda na manutenção do espaço e na distribuição de renda para os profissionais e comunidades locais, como é o caso dos Quilombolas Kalungas. As diárias dos guias variam de R$120 a R$ 200, conforme o atrativo. 

A Chapada também é casa do povo Kalunga, a maior comunidade de remanescentes de Quilombolas do Brasil (Crédito Mundo Sem Muros).
A Chapada também é casa do povo Kalunga, a maior comunidade de remanescentes de Quilombolas do Brasil (Crédito Mundo Sem Muros).

A comunidade Kalunga se concentra na cidade de Cavalcante e é a maior comunidade de remanescentes de Quilombolas de todo o Brasil. Com muita cultura e história, eles são uma importante parte da Chapada dos Veadeiros. Este povo é descendente de africanos escravizados que fugiram dos cativeiros e que hoje produz artesanato e produtos próprios.

O povo Kalunga tem no turismo sua principal fonte de renda e, por isso, recomendamos adquirir seus produtos, já que isso ajuda muito na manutenção da comunidade. Vale lembrar que o povo Kalunga habita a região há mais de 200 anos, e eles possuem um conhecimento extraordinário sobre o Parque Nacional da Chapada. 

O que fazer na Chapada dos Veadeiros?

Vamos deixar aqui para vocês a lista dos melhores atrativos na Chapada dos Veadeiros, na nossa opinião: 

Cachoeira Santa Bárbara

Uma piscina azul e cristalina: assim é a cachoeira Santa Bárbara (Crédito Mundo Sem Muros)(Crédito Mundo Sem Muros)
Uma piscina azul e cristalina: assim é a cachoeira Santa Bárbara (Crédito Mundo Sem Muros)

A Cachoeira Santa Bárbara, com os seus 30 metros de queda, chama atenção por sua piscina de água azul cristalina, localizada na região de Cavalcante. É uma das cachoeiras mais procuradas do Brasil e, por conta disso, o tempo de permanência lá é limitado, além de ser obrigatória a contratação de guia. A trilha é fácil, com mais ou menos 1,8 km, mas lembre-se de levar sua água e lanche, pois não existe estrutura para alimentação, somente no Centro de Atendimento ao Turista – CAT. Dá para deixar o carro até certo ponto da estrada e partir dali é possível pegar o transporte local (pau de arara) ou continuar a pé por cerca de 5 km.

Valor: R$ 25 (ingresso) + R$ 20 (pau de arara – opcional, já que você pode percorrer o trajeto a pé também). Horário de Funcionamento: o Centro de Atendimento ao Turista – CAT – abre às 07h para a emissão dos ingressos. Indicamos que se chegue cedo, pois há um número máximo de visitantes ao dia. Você também pode comprar o ingresso online.

Cachoeira Candaru

A Cachoeira Candaru é um segredinho guardado da Chapada dos Veadeiros (Crédito Mundo Sem Muros)
A Cachoeira Candaru é um segredinho guardado da Chapada dos Veadeiros (Crédito Mundo Sem Muros)

A Cachoeira Candaru não é tão visitada, mas possui uma beleza única! É um segredinho ainda guardado na Chapada. Também localizada em Cavalcante, para visitar a queda de 70 metros é obrigatório o guia, que pode ser fechado em pacote com mais pessoas, em visita que inclui a já citada cachoeira Santa Bárbara. Para chegar na Cachoeira Candaru dá para pegar o pau de arara, que leva até um ponto mais próximo da cachoeira. Fique ligado na estrada: as condições são precárias e é quase impossível para motoristas sem veículo 4×4. Assim como a cachoeira Santa Bárbara, não existe estrutura para alimentação.

Valor: R$ 15 (ingresso) + R$ 20 (pau de arara). Horário de Funcionamento: o Centro de Atendimento ao Turista – CAT – abre às 07h para a emissão dos ingressos, que podem ser comprados online. Vale lembrar que a Candaru não é disputada como a Santa Bárbara e acreditamos que não haja necessidade de comprar ingressos com antecedência. 

Cachoeira da Capivara

Cachoeira da Capivara forma um poço divino para banho (Crédito Mundo Sem Muros).
Cachoeira da Capivara forma um poço divino para banho (Crédito Mundo Sem Muros).

A Cachoeira da Capivara é lindíssima, alcançada por uma trilha fácil, porém íngreme. O caminho até a queda d’água é um atrativo a parte com sua linda mata, que nos fez mergulhar ainda mais nesta experiência. No fim, chegamos à Cachoeira, que oferece um poço ótimo para banho, com um pouco de correnteza. Por isso, é bom saber nadar, já que o poço é fundo e há o rio que corre para um cânion.

Valor: R$ 10. Horário de Funcionamento: o Centro de Atendimento ao Turista – CAT – abre às 07h para a emissão dos ingressos. Também é possível comprar online, e assim como no caso da Cachoeira Candaru, acreditamos que não haja necessidade de comprar com antecedência. 

Catarata dos Couros

Diversas quedas se formam ao longo da Cachoeira dos Couros (Crédito Mundo Sem Muros).
Diversas quedas se formam ao longo da Catarata dos Couros (Crédito Mundo Sem Muros).

A Catarata dos Couros é um dos atrativos principais da Chapada dos Veadeiros e oferece muito para se explorar. Formada por diversas quedas, a Catarata dos Couros forma belas cachoeiras, poços de banho paradisíacos e corredeiras. A trilha é longa, leva um dia todo, e passa por uma grande extensão de quedas.

As principais quedas são: Cachoeira da Muralha, São Vicente (Almécegas 1000), Parafuso, Bujão e Cânion dos Couros. A trilha é de nível fácil, mas requer atenção em alguns trechos perigosos e deve-se ter experiência em caminhadas, caso decida ir sem guia. Este é um dos lugares que você vai aproveitar muito mais se for em época de seca, pois na época chuvosa a vazão aumenta tanto que impossibilita tomar banho.

Como o passeio é longo, existe a opção de almoço no local (no estacionamento), mas é necessário fazer uma reserva/encomenda pela manhã. O que o pessoal faz é ir cedo para aproveitar a manhã inteira e almoçar antes de ir para o próximo atrativo. Além do almoço, lá você encontra alguns lanches, como pastéis, e sucos.

Valor: Entrada gratuita. Horário de funcionamento: Livre. 

Vale da Lua

O Vale da Lua é o nosso queridinho! E é claro que o lugar não tem esse nome à toa: tivemos a impressão de estar em missão tropical da Nasa, pisando nas crateras lunares. As rochas milenares do Vale da Lua formam caldeirões de água ao redor do rio São Miguel, que cruza o vale. Em alguns pontos, há piscina para banhos, mas é preciso cuidado, pois muitas pessoas já morreram no local por causa de trombas dʼágua repentinas. O acesso é muito fácil e se dá através de uma pequena trilha de cerca de 15 minutos.

Valor: R$ 20. Horário de funcionamento: 07h às 17h30min. 

Cachoeira do Segredo

A Cachoeira do Segredo é a mais linda que visitamos (Crédito: Mundo Sem Muros)
Como não se sentir pequeno diante da Cachoeira do Segredo? (Crédito: Mundo Sem Muros)

Apresentamos a Cachoeira do Segredo, a que mais gostamos, tanto pela queda d’água quanto pelo lago formado e pela trilha. Consideramos esta a mais linda que visitamos e que nos fez pensar sobre nossa pequenez diante da natureza: uma queda de mais de 100 metros de altura, no meio de paredões de rocha que pareciam nos abraçar. A trilha tem cerca de 8km ida e volta, porém na época chuvosa essa distância quase dobra, pois o acesso é diferente.

Valor: R$ 25 (com guia), R$ 35 (sem guia, comprando na operadora – na cidade de São Jorge), R$ 40 (sem guia, comprando na entrada do o atrativo) Horário de funcionamento: 08h às 17h. 

Mirante da Janela

No Mirante da Janela admiramos o pôr do sol mais lindo da vida (Crédito: Mundo Sem Muros)
O Mirante da Janela oferece a moldura perfeita para o pôr do sol mais lindo da vida (Crédito: Mundo Sem Muros)

O Mirante da Janela é o cartão postal da Chapada dos Veadeiros. Apesar de ser uma trilha bem cansativa e termos feito sob um calor escaldante, é sempre um privilégio chegar no mirante. Foi lá que admiramos o pôr do sol mais lindo da vida! A vista é para o Parque Nacional e as cachoeiras dos Saltos: Salto 120 e Salto 80. Mas o diferencial mesmo fica por conta do conjunto de rochas que criam uma espécie de moldura natural como na imagem acima.

Valor: R$20. Horário de Funcionamento: 07h às 20h. Porém há possibilidade de ver o nascer do sol, acompanhado de guia. 

Cachoeira Loquinhas

A Cachoeira Loquinhas é ideal para família: com várias quedas dʼágua e lugares para banho (Crédito: Mundo Sem Muros)
A Cachoeira Loquinhas é ideal para família e presenteia o visitante com várias quedas (Crédito: Mundo Sem Muros)

A Cachoeira Loquinhas é ideal para relaxar e curtir com a família. De fácil acesso, as cachoeiras ficam em uma fazenda, com um total de 18 atrativos, entre quedas dʼágua e lugares para banho. Vale ressaltar que em época de seca poucas cachoeiras permanecem com vazão. A cor das águas também é espetacular, lembrando a cachoeira Santa Bárbara, por serem bem azuis. Acreditamos que esse seja o local com maior acessibilidade dentre os atrativos da Chapada.

Valor: R$35. Horário de Funcionamento: 8h30 às 17h.

Fazenda São Bento

Além de belas cachoeiras, a Fazenda São Bento oferece rapel, tirolesa, pousada e restaurante (Crédido: Mundo Sem Muros)
Além de belas cachoeiras, a Fazenda São Bento oferece rapel, tirolesa, pousada e restaurante (Crédido: Mundo Sem Muros)

A Fazenda São Bento é composta por três cachoeiras: Almécegas I, Cachoeira São Bento e Almécegas II, a fazenda é mais um lugar de grande beleza para os amantes de cachoeiras. Além disso, concentra outras atividades, como trilhas de bicicleta, pousada, restaurante, rapel e a tirolesa do Voo do Gavião.

Valor: R$ 40. Horário de Funcionamento: 8h às 17h. Voo do Gavião: Este não é um atrativo em si, mas é ótimo para quem busca uma aventura a mais. O Voo do Gavião é uma tirolesa de 850 m de comprimento, 100 m de altura e que atinge uma velocidade de 55 km/h, contemplando todo o bioma do cerrado. O passeio é feito pela empresa Travessia Ecoturismo e custa R$ 100 por pessoa para voo sentado na cadeira ou R$ 150 para voo deitado. 

Como é a acessibilidade?

Falando sobre a acessibilidade, em alguns atrativos da Chapada dos Veadeiros podemos encontrar uma forma mais fácil de acesso para a pessoa com deficiência, porém não vimos nenhum local destinado 100% a elas. O que acontece muito na Chapada dos Veadeiros é os guias ajudarem nesta acessibilidade, até mesmo utilizando da força braçal para fazer com que a pessoa com deficiência também consiga chegar até o local. 

Pronto para conhecer a Chapada?

E aí, te convencemos a ir conhecer a Chapada dos Veadeiros? Se sim, indicamos a agência @aoiamaecoturismo caso você necessite de qualquer serviço: seja um roteiro exclusivo, guias, transporte (ela faz todo transporte pessoal, desde Brasília até os passeios), dicas de restaurantes e lugares para se hospedar. E guia indicamos a @jesscarioca que é muito profissional e nos trouxe muito aprendizado juntamente com a guiagem. 

E claro, se você ainda não encontrou a sua passagem de ônibus, carona ou aéreo para a Chapada dos Veadeiros, planeje tudo com antecedência com o BuscaOnibus.

Se você já conhece a região, nos conte como foi e quais lugares você conheceu 🙂
*texto e imagens produzidos pelo @mundosemmuros / edição: Ana Letícia da Rosa (BuscaOnibus)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *